Início » Cães & Gatos » DAPP: Você já ouviu falar?
Cães & Gatos

DAPP: Você já ouviu falar?

Rate this post

O verão já chegou e com ele os animais recebem visitas indesejadas, as Pulgas e para piorar a situação seu animal pode ser alérgico. 

 

Introdução

As doenças de pele são um dos problemas de saúde mais comuns entre cães e gatos Cerca de 50% dos casos na rotina clinica de pequenos são decorrentes de problemas dermatológicos e, dentre eles, os mais comuns são as dermatites alérgicas.

Um estudo realizado nos Estados Unidos feito pelo banco de dados de escolas veterinárias norte-americanas a Veterinary Medical Data Program (VMDP), constatou as dez doenças dermatológicas mais comuns em cães nos EUA.  Em ordem decrescente de frequência, foram: dermatite alérgica à picada de pulga (DAPP), tumores, pioderma bacteriano, seborréia, alergias (todas menos DAPP), sarna demodécica, sarna sarcóptica, dermatoses imunomediadas, dermatoses endócrinas e dermatite acral por lambedura.

Já no Brasil, as 10 mais frequentes na mesma ordem são: dermatite piotraumática e malassezíase, alergia alimentar, miíase, sarna sarcóptica, foliculite bacteriana profunda/furunculose, sarna demodécica, foliculite bacteriana superficial, dermatite alérgica à picada de pulga, atopia. Com isso podemos dizer que são poucas doenças de pele responsáveis pela maior parte das consultas dermatológicas.

Além do desconforto que o animal apresenta com o prurido intenso (coceira), alguns proprietários também podem se sentir incomodados ao ver o animal nessa situação, além de se sentirem constrangidos na frente de visitas onde logo vem o preconceito de que o animal tem pulga, mas como já vimos são várias causas que podem desencadear o prurido e são as diversas formas de expressão dependendo do organismo do animal.

Coceira não é sinal de pulga !!

Neste post iremos entender mais sobre a Dermatite alérgica à picada de pulgas, Sendo a segunda dermatite mais frequente na rotina clínica, em que a saliva da pulga, inoculada no momento da picada, desencadeia um processo inflamatório localizado predominantemente na região lombar, que pode se estender por todo corpo do animal.

Definição

Pulgas são os ectoparasita mais comum,  nos cães e gatos. As mais comuns são a Ctenocephalides felis e a Ctenocephalides canis ambas podem ser encontradas tanto o cão quanto o gato.

pulga2

Caracterizam-se por se alimentarem do sangue do animal que serve de seu hospedeiro picando-o. Muitas vezes passam despercebidas devido ao seu  tamanho muito pequeno. Além disso, possuem uma capacidade de reprodução extraordinária dando origem a mais de 50 ovos diários dos quais nascem larvas, posteriormente convertem em pupas e em poucas semanas tranformam-se em adultas. 70 pulgas podem consumir cerca de 1mL de sangue por dia.

A DAPP é a segunda maior doença cutânea de maior frequência na rotina clínica de pequenos animais, afetando igualmente cães e gatos.

Esta patologia está associada com a saliva da pulga que possui cerca de quinze alergenos sendo proteinas com efeito anticoagulantes para facilitar a sucção do sangue.  Os  pacientes  alérgicos  reagem  contra  essa  proteína estimulando o sistema imunologico, desencadeando uma reação de hipersensibilidade tipo I. Explicando o porque  alguns animais toleram um número moderado de picadas de pulgas por dia, os animais com DAPP não toleram nenhuma. Esta reação alérgica pode estar associada a outros processos alérgicos paralelos.

O que é uma hipersensibilidade ?

A hipersensibilidade do tipo I é também conhecida como  hipersensibilidade imediata e é a base aguda das respostas alérgicas, isto significa que o organismo reage imediatamente quando em contato com uma substacia (antigeno) a qual o organismo tenha alergia. São reacções  mediadas por anticorpos imunoglobulina E (IgE) que se ligam a  receptores específicos presentes na superfície de mastócitos e basófilos (celulas de defesa). Quando os  anticorpos IgE se ligam aos antigénios, os mastócitos e basófilos libertam substâncias (desgranulação) que causam manifestações clínicas. Essas reacções são rápidas e ocorrem dentro de minutos após a reexposição ao antígeno.

Epidemiologia

A evolução é sazonal ou seja apresenta maior incidencia em determinada epoca do ano, sendo então mais frequente nas épocas mais quente e depois tende a se tornar permanente por reinfestação nas outras épocas do ano mais frias. Por isso a atenção deve ser redobrada no verão e não esquecida no inverno !

Sintomas

Os sinais clínicos de DAPP surgem de forma diferente no cão e no gato. Os cães apresentam prurido intenso e continuo por conta das picadas, levando o animal a dar varias  mordiscadas, coçar e a se esfregar-se no chão com frequência. As consequências deses atos são: vermelhidão e rubor, formação de escuriações,  perda de pelo e por vezes crostas na região lombar e na base da cauda. A dermatite pode estender-se às coxas e região do abdómen e flancos. Já nos gatos podem-se lamber em excesso ou arrancar os próprios pelos, apresentando falta de pelos principalmente nos flancos e no dorso (pescoço), também são vistas  pequenas crostas vermelhas no dorso.

dapp2

Em casos crônicos ou seja, após vários meses  de evolução, o quadro pode se modificar sensivelmente, como espessamento da pele e a hiperqueratose causada pela ausência de pelo, que se torna grossa podendo se tornar negra sem surgimento de novos pelos, a pele pode se tornar  variavelmente enrugada normalmente na região lombar. Nesse momento o prurido é reduzido e o animal parece se acostumar com a dermatite.

Cerca de 60%  dos cães que são alérgicos ás pulgas manifestam sinais clínicos entre 1 e 3 anos de idade, mais comumente aos 6 meses. Com o passar dos anos e contato continuo com ás pulgas, a hipersensibilidade pode diminuir.

Mas em consequência das lesões na pele, infeção secundárias podem acontecer como infecções bacteriana (piodermatite superficial e profunda), exigindo tratamento simultâneo com antibióticos.

dapp

Fonte: Casvethospitalveterinario.wordpress.com

Diagnóstico

Em  dermatologia,  a  semiologia  tem  características  peculiares,  devido  à objetividade do exame. O exame físico dermatológico ganha singular importância no processo  de  formulação  da  hipótese  diagnóstica  diferencial. Portanto é levado em consideração principalmente o historico do animal a observação da distribuição das lesões e observação de pulgas, ou fezes de pulgas no corpo do animal. O exame complementar não muito utilizado mas pode ser feito por meio de teste laboratorial atraves da detecção  de hipersensibilidade em um ensaio sorológico chamado metodo de ELISA ou por um teste mais simples o teste intrádermico onde é injetado uma pequena quantidade de extrato de pulga e outras substancias na pele do animal, caso o animal seja alérgico apresentará uma reação e ira ocorrer a formação de um caroço no local da injeção.

Vale lembrar que somente animais  alérgicos  reagem à presença  das  pulgas,  uma  vez  que  pode-se observar animais intensamente parasitados sem sintomas alérgicos.

Tratamento

Infelizmente, não existe cura para as alergias e sempre que uma pulga picar um animal que tenha DAPP ocorerá o processo de hipersensibilidade, por isso o melhor maneira de   evitar o processo é fazer o controle de pulgas diminuindo o contato do animal com a pulga. O objetivo principal é reduzir ao máximo o número de picadas de pulgas. Atualmente no mercado existem excelentes produtos disponíveis que são efetivos no controlo de pulgas. A maioria destes é destinado a uma aplicação mensal, mas infelizmente ainda não existe um repelente de pulgas 100% efetivo, e apenas 5% das pulgas estão presentes no animal devendo então ter maior atenção com o ambiente que abriga os 95% restantes das pulgas nas formas de ovos, larvas e pupas que são praticamente invisíveis. Este é o principal motivo pelo qual as infestações de pulgas são tão difíceis de controlar. Para um adequado controle de pulgas, é importante ter em mente esses fatores “invisíveis”.

Para que seja feito o controle efetivo das pulgas devemos compreender o ciclo de vida das pulgas, pois diferentes tratamentos modernos e os produtos preventivos funcionam em fases diferentes desse ciclo.

Ciclo de vida da pulga

As pulgas têm quatro estágios de vida: ovo, larva, pupa e adulto.

Fase 1: As pulgas adultas botam os ovos no corpo do animal que são escorregadios e pela gravidade caem  para o ambiente. 

Fases 2: Os ovos eclodem, depois de 1 a 10 dias que são postos, e deles saem as larvas. Ficam com uma coloração marrom devido a sua alimentação exclusiva das fezes das pulgas adultas. Apresentam fototropismo negativo, ou seja, preferem  lugares escuros como tapetes, carpetes, estofados  e frestas.

Fase 3: Dentro de 5-11 dias  passam  pelo estágio de pupa, o casulo formado pela larva. Até se transformarem em pulgas jovens são necessários 9 dias até que estejam  prontas para subir no animal.

Se expostas por mais de 40h a temperaturas acima de 35oC e abaixo de 3oC, as larvas não sobrevivem, porém seu casulo pode servir de proteção aos inseticidas.

Necessitando de três fatores para seu ciclo continuar: temperatura ambiental, taxa de umidade por volta de 50% a 92% e a presença de hospedeiro.

Fase 4: As pulgas adultas apresentam fototropismo positivo preferem a luz e quando percebe a presença de um hospedeiro e logo pulam no animal, Nessa fase esses insetos se tornam ectoparasitas hematófagos: sugam o sangue de seus hospedeiros – e geram ovos continuando o ciclo.

Infográfico: Ciclo da pulga

pulgas01-20110825145359

O completo controlo das pulgas exige tratar o animal afetado e todos os animais que o rodeiam. Por isso o tratamento possui três objetivos, uma vez que a maioria dos estágios das pulgas Não encontram-se no animal:

chart_flea_pyramid

Objetivos para um tratamento eficiente:

  • Eliminar as pulgas presentes no animal (5%)
  • Eliminar os elementos “invisíveis”: ovos, larvas e pupas (95%)
  • Prevenir reinfestações

No ambiente podemos ter os seguintes cuidados:

  • Aspirar todos os tapetes, carpetes, sofás, cortinas, etc., tendo particular atenção aos locais mais frequentados pelo animal;
  • Lavar todas as mantas, camas, almofadas, etc., onde o seu animal dorme, com água e um pouco de detergente ou lixívia;
  • Ter especial atenção aos locais onde há frechas ou ranhuras, rodapés, atrás dos sofás, do frigorífico, máquina de lavar e em geral, nos locais mais difíceis de passar o aspirador de pó;
  • Após fazer a limpeza e aspiração os locais devem ser tratatos com a aplicação de adulticidas e inibidores de crescimento em todo o ambiente e principalmente em lugares escuros e fretas. Estes produtos encontram-se na forma de aerossois e pulverizadores que agem quebrando o ciclo. Atenção estes produto só deve ser aplicado sem que haja qualque animal no ambiente e esperar um tempo de pausa de no minímo 2h até que todo o ambiente estaja totalmente seco.

No animal os produtos mais utilizados são:

  • Loções inseticidas: devem ser usados com precaução, principalmente no gato pois possuem componentes que podem facilmente intoxicar o animal, sua ação possui efeito rápido de 2 a 3 dias e age sobre as pulgas adultas;
  • Banhos: Podem matar as pulgas, mas não possui qualque ação residual, pode matar as pulgas presentes no animal mas não impede que novas pulgas subam no animal;
  • Coleiras: Posuem um eficácia muito limitada e também podem provocar dermatites de contato;
  • Talcos anti-pulgas: Aconcelhados para animais medrosos e sua ação é de permanecia baixa;
  • Medicamento via oral: Estes agem inibindo o crescimento das pulgas, não é muito indicado para o tratamento da DAPP pois a pulga se intoxicaria ao sugar o sangue do animal e por isso o animal ja desenvolveria a DAPP, pois a pulga ja teria inocolado sua saliva;
  • Aerossóis: Podem ser utilizado mas possuem um tempo muito baixo de ação e por promoverem sensação de frio e produzirem barulho torna difícil aplicação em animais medrosos;
  • Spot on (pipetas): Aplicação é feita de acordo com o peso do animal conforme o frabricante indica na embalagem. É a apresentação mais prática e com tempo de permanencia maior que as outras opções cerca de 3 a 4 semanas;
  • Pump spray: Esta uma das opçoes mais praticas pois o proprietario apenas vaporiza o produdo no animal tambem possui 3 a 4 semanas.

Em casos de dermatites com infeção bacteriana é necessário administrar antibióticos. A pele lesada recupera mais rapidamente com a administração simultânea de suplementos de ácidos gordos. Em casos de prurido extremamente intenso pode ser vantajosa a administração de glucocorticoides. A administração de glucocorticoides deverá ser reduzida ao tempo indispensável para controlar o prurido.

Todo o tratamento deve ser acompanhado por um Médico Veterinário e qualquer alteração ou observações deve ser dividida com o clínico afim de evitar falhas no tratamento.

 

Referência

  1. ALVES, P. Dermatite alérgica a picada de pulgas – DAPP. [online]. Disponível em  <http://www.drapriscilaalves.com.br/artigos/DAPP.pdf>. Acesso em: 19/04/2012.
  2. Dryden MW, Gaafar SM. Blood consumption by the cat flea, Ctenocephalides felis (Siphonaptera:Pulicidae). J Med Entomol 1991;29:394- 400.
  3. Halliwell REW. Clinical and immunological aspects of allergic skin disease in domestic animals. In: Advances in veterinary dermatology. London:Bailliere Tindall, 1990;1:106-12.
  4. Matias G. M, Os principais distúrbios Imuno-alergológicos em animais de companhia, 2011. 91f.. Instituto Superior Politécnico de Viseu, Escola Superior Agraria. Viseu 2011.
  5. Oliveira, Dierle Tubiana de; Pinzon, Pâmela Wollmeister, Martins, Danieli Brolo. Dermatite Alergica à Picada de Pulga: Relato de Caso, 2012. Universidade de Cruz  Alta,  UNICRUZ-RS. 2012.
  6. RISTOW, L. E.; Dermatite alérgica a picada de pulgas – DAPP. Tecsa. [online]. Disponível em: <http://www.tecsa.com.br/media/file/pdfs/DICAS%20DA%20SEMANA/PET%202010/Dermatite%20alergica%20a%20picada%20de%20pulgas.pdf>. Acesso em: 19/10/ 2014.
  7. Silverman J, Rust MK. Some abiotic factors affecting the survival of the cat flea, Ctenocephalides felis (Siphonaptera:Pulicidae). Environ Entomol 1983;12:490-5.

 

About the author

Michelle Mendes

Michelle Mendes

Estudante de Veterinária, Colunista e administradora do Guia Veterinária.

Add Comment

Click here to post a comment

Facebook

Guia Veterinária

1 month 2 weeks ago

Guia Veterinária updated their cover photo.

Guia Veterinária

2 months 1 week ago

Feliz dia do Médico veterinário!!!

Feliz dia, médicas veterinárias e médicos veterinários! E parabéns também para os futuros profissionais dessa área linda ❤

Inline
Inline